Título do TCC:

Acompanhamento do manejo em viveiro de pínus sp.


Autores:

Felipe Mello


Orientadores:

Peterson Jaeger


Assunto:

Viveiro florestal, Mudas sadias, Qualidade


Resumo:

O Pinus chegou ao Brasil há mais de um século pelas mãos dos imigrantes europeus que plantavam a espécie para fins ornamentais, O objetivo principal da introdução da espécie no país foi para suprir a necessidade de madeira para abastecimento industrial, as principais espécies são Pinus elliottii e pinus taeda. O objetivo deste trabalho foi de acompanhar todas as práticas de manejo dentro do viveiro da empresa Imaribo, desde a chegada da semente, até a liberação para plantio definitivo a campo, e avaliar a porcentagem de perda de mudas. Para formar mudas de qualidade manejadas em viveiro próprio, deve-se priorizar a escolha das sementes, visto que apresenta um pequeno custo no valor final da muda. As sementes devem ser de boa qualidade genética e fisiológica, uma vez que a semente já encontra-se no viveiro. É mantida resfriada e conforme a necessidade de semeadura, é realizada a quebra de dormência através de água em temperatura ambiente, após é realizado a resfriamento em freezer por sessenta dias, para então ser misturado substrato, e realizado o enchimento de tubetes, colocado 25 kg de substrato “Rohrbacher” em uma betoneira, acrescentado 200g de fertilizante NPK na formulação 09-33-12 e 150g do fertilizante de nome comercial “Osmocolte” de formulação 18-05-09, na sequência ocorrendo a homogeneização, A mistura retirada da betoneira foi preenchida em tubetes que estavam encaixados nas bandejas, a semeadura foi realizada manualmente, na profundidade de 1cm, sendo colocados em estufa com tela de proteção por um período de 8 a 10 dias para germinação. Durante esse período realizou-se irrigação com aspersão de 2 a 3 vezes por dia durante 30 minutos cada série, para então ser retirada da estufa, A cada 15 dias tratamentos químicos preventivos com fungicida e inseticida, reduziuse a irrigação dos 4 aos 6 meses para indução de rustificação. A muda é liberada para plantio definitivo a campo com 6 meses de idade, espera-se que a muda atinja 25 cm de altura e 3 a 4mm de colo. Durante o processo, a porcentagem de perda de mudas é em torno de 15% em virtude de germinação, estarem tortas, bifurcadas.


PDF:
Download

Indexado em: setembro 1, 2021
Cursos Associados: Agronomia
Tags Associadas: Nenhuma Tag associada a publicação