Título da Dissertação:

TRABALHO DOCENTE EM UMA CELA DE AULA: REFLEXÕES SOBRE A EDUCAÇÃO EM UMA UNIDADE PRISIONAL


Autores:

VANESSA APARECIDA RODRIGUES


Orientadores:

Joel Haroldo Baade


Palavras-Chave:

1. Educação em prisões. 2. Cela de aula. 3. Reflexões. I. Baade, Joel Haroldo. II. Momoli, Daniel Bruno. III. TITULO.


Resumo:

Estudos sobre Educação em Prisões tem se intensificado nos últimos anos a fim de garantir a implantação do ensino aos presos em espaço de privação de liberdade. O objetivo deste trabalho é refletir sobre o papel da educação na realidade social prisional, com a intenção de ampliar a compreensão sobre a prática educacional neste contexto. A pesquisa realizada possui caráter exploratório tendo como campo de investigação a Penitenciária de São Cristóvão do Sul / SC que se divide em Unidade I e Unidade II, e a pesquisadora como observadora, mediadora e autora. Para melhor entender o funcionamento de como se dá a educação dentro da prisão foi necessário a inserção da pesquisadora durante 28 períodos acompanhando os docentes dos diferentes níveis de aprendizagem. Além disso, todos os instrumentos de coleta de dados foram essenciais para a elaboração de um diário de campo sendo que na Unidade I dos 839 presos que cumprem pena, 406 estudam, assim como na Unidade II que possui um total de 693 presos e destes 319 estão inseridos em turmas da modalidade de Educação de Jovens e Adultos – EJA, quantidade de presos esta que diferente das demais prisões brasileiras, estão envolvidos em atividades educacionais, que lhe possibilitam ou possibilitarão uma melhor convivência em seu retorno à sociedade. Para que o contexto das aulas fosse melhor compreendido, um questionário online foi estruturado e formulado com perguntas abertas sendo aplicado aos docentes das unidades I e II. Foram convidados a participar como respondentes os 23 docentes atuantes, sendo encaminhado um link via e-mail e também via WhatsApp, sendo que somente 11 destes aceitaram e concluíram a proposta servindo como instrumento determinante de como acontece a política de oferta de estudo dentro do contexto da prisão. O estudo in locu permitiu um olhar sobre o campo da pesquisa indo muito além da teoria, vivenciando as experiências diárias possibilitando uma compreensão ampla do contexto educativo. A pesquisa contou com presos de 21 a 70 anos, todos do sexo masculino, totalizando 725 presos inseridos nas aulas. Grande maioria oriundos do estado de Santa Catarina, principalmente Lages e Joinville, mas também presos acolhidos do estado de Minas Gerais, Pernambuco e Cuiabá. Leis como Execução Penal – LEP (Lei 7.210/84), Constituição Federal – CF 1988, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDBEN 9394/1996 e o Plano de Ações Articuladas – PAR (2007), retrataram que o trabalho com educação em prisões existe por meio desse conjunto de documentos que oferece o suporte básico necessário para que seja de fato constituída dentro da prisão. Os resultados indicam que nesse sentido foi possível compreender o papel da educação na unidade prisional analisada, sendo que ela pode ser considerada de contribuição fundamental na formação de uma consciência crítica nos indivíduos por proporcionar aos reclusos a oportunidade de exercer atividades laborais, oportunizando o aprendizado de uma profissão em empresas privadas alocadas dentro do espaço em que se inserem e também por garantir aos reclusos das duas unidades atendidas na retomada de seus estudos, constituindo assim novos projetos de vida. Palavras-chave: Educação em prisões. Cela de aula. Educação no cárcere. Reintegração social.


Abstract:

Não Informado


Ano:

2019


Páginas:

Não Informado


https://acervo.uniarp.edu.br/?p=985
PDF:
Download

Indexado em: maio 27, 2021
Cursos Associados: Mestrado Profissional em Educação Básica
Tags Associadas: Nenhuma Tag associada a publicação